A Survival responde a perguntas mais frequentes sobre povos indígenas isolados

 

O que são os povos "não descobertos” ou “perdidos no tempo”?

Esses termos são sensacionalistas e pejorativos. É extremamente improvável que exista qualquer povo cuja existência seja totalmente desconhecida.

 

O que você quer dizer com povos indígenas “isolados”?

São os povos que não têm contato pacífico com a sociedade dominante. Existem mais de 100 povos indígenas isolados no mundo.

 

Isso significa que eles não têm contato com mais ninguém?

Não. Todos têm vizinhos, mesmo quando não são muito próximos, eles sabem quem são. Se for outro povo indígena, que talvez também seja isolado, é possível que eles tenham relações não amistosas.

 

Eles já tiveram algum contato no passado?

Em alguns casos, provavelmente, sim. Alguns podem ter entrado em contato com a sociedade colonial nos séculos passados e depois se afastaram, em razão da violência daquela época. Alguns podem ter sido parte de povos indígenas maiores que se separaram ou se afastaram para fugir do contato.

 

Então eles não estão necessariamente vivendo como costumavam viver nos séculos passados?

Ninguém vive hoje como se vivia nos séculos passados. Alguns povos da Amazônia tinham armas adquiridas através do comércio entre grupos indígenas, antes mesmo do contato com a sociedade de fora. A maioria dos povos indígenas isolados usa alguma ferramenta de metal, que eles podem ter encontrado perdida na floresta ou que negociaram com vizinhos, há muitos anos ou mesmo há gerações. Como por exemplo, povos isolados das Ilhas de Andamão usam pedaços de metal de velhos barcos naufragados, e assim por diante. Outro exemplo, é a batata doce, que tem sido um alimento básico para alguns povos indígenas da Polinésia desde muito antes do contato com os europeus. Esse vegetal, curiosamente, vem da América do Sul.

 

Então, existem sociedades “primitiva”?

Todos os povos estão se modificando o tempo todo, e sempre têm sido assim, incluindo os povos indígenas isolados. A Survival não fala de povos ou culturas “primitivas”. Eles não são povos “atrasados” ou da “Idade da Pedra”, eles apenas vivem de forma diferente.

 

Há quanto tempo eles moram lá?

Em geral, os povos indígenas têm vivido em suas terras por muitas gerações, ou até mesmo por milênios.

 

Algumas pessoas dizem que relatos sobre povos isolados são falsos.

Alguns relatos falsos de “primeiros contatos” são utilizados para atrair turistas. Mas na verdade existem muitos povos indígenas isolados. Eles, às vezes, estão surpreendentemente próximos de pessoas que têm mantido contato por décadas ou por anos.

 

Qual a posição da Suvival sobre fazer contato?

Ninguém deve tentar ir ao território dos povos indígenas isolados que não têm contato regular com pessoas de fora. É perigoso para todo mudo. Apenas divulgamos a localização aproximada deles quando é necessário para a proteção de suas terras.

 

O governo brasileiro fazia expedições de “primeiro contato”. Qual é a posição da Survival sobre isso?

Aqueles que lideraram as expedições acabaram se arrependendo. Eles acreditavam que o contato era necessário para “salvar” os povos indígenas, mas esses povos acabavam sendo destruídos de qualquer maneira. O entendimento agora é que os indígenas devem ser deixados em paz, e a única maneira de ajudá-los é protegendo suas terras, para que possam sobreviver, prosperar e viver da maneira que escolherem.

 

Voar sobre suas terras não é um tipo de contato?

Às vezes, isso é necessário para verificar se eles mudaram de lugar e se suas terras estão sendo invadidas. Pode ser importante chamar a atenção para sua existência e até mesmo para provar que eles existem. É necessário quando o foco é salvá-los da aniquilação, mas não deve ser feito para o turismo.

 

Mas ver os aviões sobrevoando suas terras não afeta a visão do mundo deles?

Como foi comentado em itens anteriores, os povos indígenas isolados já avistaram esses aviões várias vezes. A ideia de que isso prejudica sua auto-imagem e/ou suas crenças espirituais é fictícia e baseada na falsa suposição de que estas culturas são frágeis. A experiência mostra que esses povos são de fato robustos e capazes de se adaptar a situações externas – a maioria tem feito isso por muito tempo. Os povos indígenas não são destruídos quando obtêm ou veem coisas de fora, mas são sim destruídos pela violência e pelas doenças trazidas quando suas terras são invadidas.

 

Como os indígenas isolados reagem aos sobrevoos?

Eles se escondem ou mostram hostilidade. Eles deixam claro que querem manter seu isolamento.

 

Mas pode ser que eles não saibam dos benefícios do “nosso” modo de vida? Se soubessem, poderiam querer se juntar a nós?

Eles não teriam a menor chance de sobreviver. Na realidade, o futuro oferecido pela sociedade dominante é apenas “juntar-se” ocupando uma classe social inferior. A história demonstra que os indígenas acabam em uma situação muito pior após o início desse contato – e muitas vezes chegam a serem mortos.

 

Por que eles sofrem ameaças?

Pessoas não-indígenas, muitas vezes, querem a terra ou recursos deles, para extrair madeira, minérios, para construir estradas, assentamentos, etc. Normalmente, o contato é violento e hostil, porém, frequentemente, o principal motivo das mortes são doenças comuns (gripe, sarampo, etc.) contra as quais os indígenas isolados não têm imunidade e, por isso, muitas vezes elas se tornam fatais. 

 

Do que eles precisam?

Somente da proteção de suas terras.

 

Mas eles não podem viver isolados para sempre, certo?

Se a alternativa é sua aniquilação, por que não? Isso deve ser escolha deles ou “nossa”? Se um povo escolhe entrar em contato com outra sociedade, ele encontrará uma maneira. O problema é que grande parte da sociedade dominante ainda os considera primitivos e incapazes de decidir por si mesmos.

 

Por que é importante deixa-los viver?

Em primeiro lugar, embora não sejam numericamente muitos, eles são os povos mais vulneráveis do planeta. Se nos preocupamos com os direitos humanos, certamente devemos nos preocupar com os povos que estão mais ameaçados. Em segundo lugar vêm a pluralidade linguística, o amplo conhecimento das plantas e animais em seu ambiente (incluindo plantas medicinais) e as formas únicas de viver. Neste quesito eles são únicos. Eles sabem muita coisa que ainda não sabemos. Em terceiro lugar, como povos “diferentes”, eles acrescentam enormemente à diversidade da vida humana. A diversidade em qualquer esfera é importante, especialmente a diversidade de modos de vida.

 

Isso não é um romantismo irreal?

É apenas a defesa do direito das pessoas de decidir por si mesmas, em vez de serem destruídas pelas mãos de uma sociedade invasora. Ninguém considera “romântico” se opor ao colonialismo, à escravidão ou ao apartheid, etc.

 

Compartilhe

  • Facebook
  • WhatsApp
  • Copy